Utilize o teclado para navegar, com Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (Rodapé) Ctrl + 5 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)

A +

A -

Padrão


Original

Contraste

Notícias

Câmara encaminha Moção de Protesto ao Governador do Estado contra reforma estrutural do magistério  


Data: 26 de novembro de 2019

Câmara encaminha Moção de Protesto ao Governador do Estado contra reforma estrutural do magistério   

O Legislativo Osoriense aprovou na Sessão Ordinária desta segunda-feira (25/11) Moção de Protesto, contra projetos oriundos do Executivo Estadual nominados de “Reforma Estrutural”, que compreendem alterações no Plano de Carreira do Magistério Público, no estatuto do Servidor e no Regime Próprio de Previdência Social do Estado.

 

A Moção, autoria das Bancadas do PDT, MDB e PSDB, será encaminhada à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, pleiteando pela rejeição das propostas em prol de alternativas reais de valorização e qualificação dos trabalhadores em educação do Estado.

 

Segundo exposto pelo Presidente da Casa Beto Gueiê, ação se justifica em razão de a categoria dos trabalhadores da educação enfrentarem um intenso processo de empobrecimento. São cinco anos sem qualquer reposição salarial, acumulando perdas inflacionárias superiores a ¹/3 do poder aquisitivo desde novembro de 2014.

 

Durante a Sessão a Tribuna Livre foi utilizada pelo representante do 13º Núcleo CPERS/Sindicato Osório, Eduardo Luís Ruppenthal que na oportunidade elencou diversos problemas que a aprovação desta reforma poderá causar na educação no estado, apontando para o risco de fechamento de escolas e os efeitos nas economias locais.

 

Até esta terça-feira (26), Câmaras Municipais de 217 cidades gaúchas já debateram e aprovaram moções de apoio aos educadores(as) ou de repúdio às alterações no Plano de Carreira do Magistério, no Estatuto dos Servidores(as) e na Previdência do Estado.

 

Em seus pronunciamentos, foi unânime o apoio dos Vereadores de Osório nesta importante causa onde reforçam seus posicionamentos contrários a chamada Reforma Estrutural.