Utilize o teclado para navegar, com Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (Rodapé) Ctrl + 5 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)

A +

A -

Padrão


Original

Contraste

Notícias

Câmara homenageou desempenho de estudante e professora em pesquisa


Data: 20 de agosto de 2019

Câmara homenageou desempenho de estudante e professora em pesquisa

A Câmara de Vereadores De Osório, por meio da autoria dos vereadores Ed Moraes e Binho Silveira, com a aprovação unanime dos Vereadores, homenageou na noite de 19 de agosto a estudante formada no ensino médio pelo Instituto Federal Do Rio Grande Do Sul - Campus Osório, Juliana Davoglio Estradioto, pela conquista do 1º lugar na pesquisa na área de Ciência dos Materiais, na maior feira de ciências do mundo, a Intel Isef, nos Estados Unidos e também  sua orientadora a professora Flávia  Twardowski, doutora em Engenharia de Produção.

 

A mesa de autoridades da solenidade contou com a presença do Presidente do Legislativo Vereador Beto Gueiê; os Vereadores proponentes Ed Moares e Binho Silveira; Vereador Martim Tressoldi; as homenageadas   Juliana Davoglio Estradioto e sua orientadora Flávia Twardowski; o diretor geral do Instituto Federal - Campus Osório, Claudino Andrighetto e também o Pró-Reitor De Pesquisa, Pós Graduação E Inovação do IFRS, Eduardo Girotto. Prestigiaram também a homenagem amigos, familiares, professores e servidores do IFRS – Campus Osório.

 

Sobre a pesquisa:

Na pesquisa, a jovem apresentou um estudo sobre o aproveitamento da casca da noz macadâmia para confeccionar uma membrana biodegradável que pode ser utilizada em curativos de pele ou em embalagens, substituindo o material sintético.

 

A partir da casca da noz macadâmia, criou um plástico biodegradável que pode ser usado em curativos de pele ou em embalagens, substituindo o material sintético. O composto é obtido por meio de um processo biológico, realizado por microorganismos, sendo menos agressivo para o meio ambiente do que por processos químicos. Além de ecologicamente correta, a produção da membrana também é mais econômica em comparação ao uso de materiais sintéticos.

 

Na Intel Isef de 2019, Juliana foi a primeira brasileira a vencer o primeiro lugar na área de ciência dos materiais. Como resultado, terá um asteroide com seu sobrenome.

 

Vencedora do Prêmio Jovem Cientista 2018, a aluna também foi a primeira menina a ser selecionada para representar o Brasil no Seminário Internacional de Ciências Juvenis de Estocolmo, um evento que reúne anualmente 25 dos maiores jovens cientistas do mundo para um programa exclusivo de ciência e cultura na semana da solenidade do Prêmio Nobel.